Aumenta o número de homens com pênis amputado no Brasil, revela a Sociedade Brasileira de Urologia

Um levantamento da Sociedade Brasileira de Urologia revelou um aumento significativo nos casos de câncer de pênis no Brasil entre 2013 e 2022, com 5,6 mil homens passando por amputações do órgão devido à gravidade da doença. O país é o terceiro no mundo em mortes por esse tipo de câncer.

A falta de acesso à informação e tratamentos adequados, além da vergonha, muitas vezes leva os homens a recorrerem a métodos ineficazes. Regiões mais pobres, como o Norte e o Nordeste, apresentam maior incidência da doença. A fimose não tratada e a falta de higiene adequada são fatores de risco, mas a vacinação contra o HPV e a educação em saúde podem ajudar na prevenção.

O diagnóstico precoce é crucial para um tratamento eficaz, que pode incluir cirurgia, radioterapia e quimioterapia. A educação sobre higiene íntima adequada é essencial na prevenção, assim como a conscientização sobre sintomas e fatores de risco.

Os cuidados para prevenir o câncer de pênis e manter a saúde genital masculina incluem:

  1. Higiene adequada: Realizar a limpeza diária do pênis com água e sabonete neutro, garantindo a exposição completa da glande, especialmente para homens não circuncisados. Evitar o uso de substâncias abrasivas ou sabonetes com germicidas.
  2. Manter a área seca: Após o banho ou urinar, garantir que a região genital esteja completamente seca para reduzir a umidade e prevenir a proliferação de fungos e bactérias.
  3. Uso de preservativos: Utilizar preservativos em todas as relações sexuais para prevenir infecções sexualmente transmissíveis, incluindo o HPV, que está associado ao câncer de pênis.
  4. Vacinação contra HPV: A vacinação contra o HPV é uma medida importante de prevenção, disponível no SUS para pessoas de 9 a 14 anos e em algumas clínicas privadas para pessoas até 45 anos.
  5. Tratamento da fimose: Buscar tratamento adequado para a fimose, condição em que o prepúcio não se retrai completamente sobre a glande, dificultando a higiene e aumentando o risco de infecções.
  6. Parar de fumar: O tabagismo está associado a um maior risco de desenvolvimento de câncer, incluindo o câncer de pênis. Parar de fumar pode reduzir esse risco.
  7. Busca por assistência médica: Qualquer ferimento, alteração na cor da pele, espessamento, nódulos ou úlceras que não cicatrizam devem ser avaliados por um profissional de saúde, preferencialmente um urologista. O diagnóstico precoce aumenta as chances de tratamento eficaz e reduz a necessidade de procedimentos invasivos, como a amputação do pênis.

Foto: Reprodução

 

 

__________________

ACOMPANHE MAIS DA PROGRAMAÇÃO DA RÁDIO DIFUSORA DE MOSSORÓ (AM 1170)  aqui.

© DIFUSORA – A FALA DO POVO!