Governo do RN busca recursos para reativar ferrovia Mossoró-Souza

O Governo do Rio Grande do Norte busca um investimento de R$ 921 milhões para reativar a antiga Estação Ferroviária Mossoró-Sousa, desativada na década de 1980. A proposta visa utilizar a ferrovia como rota de escoamento produtivo e transporte de passageiros, interligando o Estado a outros da região Nordeste, como Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Ceará, Piauí e Maranhão.

A iniciativa surge após a empresa Transnordestina desistir da concessão nos anos 1990. O projeto visa fortalecer a economia do Rio Grande do Norte, melhorar a infraestrutura logística e conectar o estado a redes produtivas regionais. A Ferrovia, com aproximadamente 350 km, poderá impulsionar setores como sal, frutas, petróleo, gás, energia eólica, agronegócio e pecuária.

Empresários, sindicatos e a Federação das Indústrias do RN mostram apoio à proposta, destacando os benefícios econômicos e a integração do estado à matriz produtiva do Nordeste. A Federação da Agricultura e Pecuária do RN vê o projeto como um sonho distante, sugerindo prioridades como aeroporto, Porto de Natal e infraestrutura rodoviária.

O Governo busca uma parceria público-privada (PPP) para viabilizar a ferrovia, envolvendo a Fundação Dom Cabral. A proposta é realizar um estudo de demanda e pré-viabilidade, buscando financiamento de R$ 1,3 milhão. O objetivo é obter a outorga de autorização junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e repassar a utilização para um ente privado.

A proposta da FDC sugere uma rota de Mossoró a Missão Velha-CE, conectando-se à Transnordestina. A Fundação destaca a importância estratégica da ferrovia para o desenvolvimento regional, conectando o Rio Grande do Norte à matriz produtiva do Nordeste e a regiões de interesse como o Matopiba.

*Com informações Tribuna do Norte

Foto: Reprodução

 

 

__________________

ACOMPANHE MAIS DA PROGRAMAÇÃO DA RÁDIO DIFUSORA DE MOSSORÓ (AM 1170)  aqui.

© DIFUSORA – A FALA DO POVO!