Preço do botijão de gás de cozinha deve ficar até 5 por cento mais caro no RN a partir de fevereiro, diz sindicato

O aumento no preço do botijão de gás de cozinha (GLP) será de até 5% no Rio Grande do Norte, segundo o Sindicato dos Revendedores de Gás do estado, a partir desta quinta-feira, 1º de fevereiro.

O empresário e presidente do sindicato, Francisco Santos, afirmou que o reajuste se tornou necessário devido ao aumento do ICMS (Imposto Sobre Mercadorias e Serviços), ao retorno do Pis/Confins sobre o diesel e ao aumento do salário mínimo.

“Todos esses fatores impactam nos custos do nosso setor. Nosso gás é proveniente de Fortaleza e Recife, de Suape, e o transporte também é afetado pelo aumento do diesel”, argumentou o empresário.

Em outubro de 2023, o Comitê Nacional de Secretários de Estado da Fazenda (Comsefaz) aprovou um reajuste na cobrança do ICMS, elevando o preço de R$ 1,25 por quilo para R$ 1,41 por quilo do botijão de gás.

Com o aumento, o gás de cozinha, que atualmente custa cerca de R$ 100, poderá chegar a R$ 105. O sindicato ressalta que o preço praticado pode variar de uma cidade para outra, dependendo dos custos de cada empreendedor.

De acordo com dados do sindicato, aproximadamente 650 mil botijões de gás de cozinha são vendidos por mês no RN. O setor emprega cerca de 30 mil pessoas, entre empregos diretos e indiretos.

Foto: Reprodução

 

 

__________________

ACOMPANHE MAIS DA PROGRAMAÇÃO DA RÁDIO DIFUSORA DE MOSSORÓ (AM 1170)  aqui.

© DIFUSORA – A FALA DO POVO!