Morre Gal Costa, ícone e um dos principais nomes da Música Popular Brasileira

Faleceu em São Paulo nesta quarta-feira (09) a cantora baiana Gal Costa aos 77 anos. A causa da morte ainda não foi divulgada, mas o falecimento já foi confirmado pela sua assessoria de comunicação.

Na última semana a cantora teve um show cancelado de última hora, quando se apresentaria no  festival Primavera Sound, sob a alegação de que ela iria se retirar dos palcos até o final deste mês para se recuperar de uma cirurgia feita em setembro para a retirada de um nódulo na fossa nasal direita, não se sabe ainda se há relação da morte com o caso.

Maria da Graça Costa Penna Burgos nasceu em Salvador, na Bahia aos 26 de setembro de 1945 e se tornou uma das vozes mais potentes e belas da chamada Música Popular Brasileira (MPB), atuando, principalmente no início de sua carreira com seus conterrâneos Caetano Veloso, Maria Bethânia e Gilberto Gil, com quem integrou o grupo conhecido como Doces Bárbaros e se firmou como um dos nomes mais influentes do chamado movimento Tropicália.

Gal gravou dezenas de álbuns, entre Lps, CDs e DVDs, destacando-se trabalhos como Índia, de 1973; “Profana”, de 1984 e Gal ao Vivo, de 2006. Deixa um legado ímpar na música nacional e uma legião de fãs.

Seu primeiro álbum de estúdio foi lançado em 1867, Domingo, com Caetano, incluindo o hit Coração Vagabundo. No ano seguinte, em 1968, Gal participou do disco Tropicália ou Panis et Circencis (1968), um dos mais importantes da história da música do Brasil. Seu primeiro trabalho solo foi em 1969, homônimo, com sucessos como Não Identificado e Que Pena.

_____________________

ACOMPANHE MAIS DA PROGRAMAÇÃO DA RÁDIO DIFUSORA DE MOSSORÓ (AM 1170)  aqui.

© DIFUSORA – A FALA DO POVO!