Mulher é condenada a dois anos no regime aberto por crime de infanticídio pelo TJP de Mossoró

Emilly Karoline Farias Barbalho, 26 anos, foi julgada pelo Tribunal do Júri Popular (TJP) de Mossoró nesta segunda-feira (26) e recebeu uma sentença de dois anos de prisão em regime aberto por crime de infanticídio.

No dia 17 de fevereiro de 2019, a ré atirou sua filha recém-nascida pela janela do banheiro de seu apartamento no 2º andar de um condomínio no bairro Planalto 13 de Maio, onde morava com os pais.

Ela foi detida em flagrante no dia do ocorrido e permaneceu por alguns dias no pavilhão feminino da penitenciária Agrícola Mário Neves, sendo libertada após a apresentação de laudo pericial que confirmou uma depressão pós-parto.

Este foi o primeiro julgamento de um caso de infanticídio a ser decidido pela sociedade mossoroense.

Em entrevista aos apresentadores do programa “Cidade Aflita” da Rádio Difusora de Mossoró, Pádua Júnior e Adriana Mendes, o advogado de defesa da ré, Otoniel Maia Júnior, comentou sobre o desfecho do julgamento e discutiu a situação de Emilly, que se mudou de Mossoró desde o incidente.

“Nós conseguimos demonstrar ainda durante a instrução processual, por meio de laudos do Itep e de psicólogos e psiquiatras, que ela agiu sob a influência do estado puerperal (depressão pós-parto), e a acusada acabou sendo condenada a uma pena de dois anos em regime aberto, conforme prevê a lei. Não vamos recorrer, nem o Ministério Público”, declarou.

Emilly não deu depoimento sobre o que aconteceu naquele dia em virtude do seu estado emocional ainda estar abalado, mesmo passados cinco anos do crime. Com a condenação do TJP, ela terá que comparecer todos os meses ao Fórum Municipal Desembargador Silveira Martins, e nesse período, poderá atualizar os laudos psicológicos.

Foto: Divulgação

 

 

__________________

ACOMPANHE MAIS DA PROGRAMAÇÃO DA RÁDIO DIFUSORA DE MOSSORÓ (AM 1170)  aqui.

© DIFUSORA – A FALA DO POVO!