Narcotraficante mexicano do Cartel de Jalisco, preso em Mossoró, é extraditado para os EUA

A Penitenciária Federal em Mossoró realizou nesta quarta-feira (10) a escolta de extradição de nacional mexicano acusado de comandar um cartel ligado ao narcotráfico. A operação, coordenada pela Divisão de Segurança e Disciplina, contou com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que reforçou o policiamento no trajeto e alterou horários de trânsito de veículos especiais.

A escolta também contou com o apoio de Agentes da Divisão de Inteligência, que prestaram todo o suporte técnico ao comboio. O narcotraficante foi entregue à Sede da PF em Natal, e de lá, embarcou em aeronave sob a custódia de agentes do DEA, o Departamento de Narcóticos Americano.

José Gonzales Valencia, de 46 anos é conhecido como “Chepa”, “Camaron” e “Santy”, foi preso no Ceará em dezembro de 2017 e é apontado como uma das lideranças do cartel Jalisco Nova Geração (CJNG) – uma das principais organizações ligadas ao narcotráfico no México.

Na época da prisão, a PF informou que ele passava férias com a família no Brasil. Desde então, Chepa aguardava o processo na Penitenciária Federal de Mossoró, por ser considerado um preso de alta periculosidade.

O embarque para os Estados Unidos aconteceu no Aeroporto Internacional Aluizio Alves, em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal, em um avião da Drug Enforcement Administration (DEA) – a agência norte-americana de combate ao narcotráfico.

Segundo a PF, o homem possui nacionalidade mexicana e norte-americana e é acusado de ser um dos três líderes do cartel, sendo responsável pelas operações financeiras do grupo. No Brasil, o estrangeiro também respondia a uma ação penal, já que entrou no país usando um passaporte boliviano falso.