Uern volta a recomendar o uso de máscaras em ambientes fechados

O aumento de casos virais e o registro de uma nova variante da Covid-19 impõe que se recomende a volta do uso de máscaras em ambientes fechados, além de outras medidas de prevenção, disse o Comitê Covid-19 da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern).

Em reunião realizada na quarta-feira, 16, o comitê decidiu indicar movimento no sentido de novas ações no combate ao vírus. Além das máscaras, sugeriu-se o retorno das campanhas de conscientização, especialmente com o alerta da necessidade de se tomar as doses de reforço.

Também é importante que os casos positivados comuniquem ao setor responsável para registro e mapeamento: no caso dos servidores, comunicar à Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progep) e, para os alunos, deve-se direcionar a informação à Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae).

As novas recomendações, verificadas em nova nota técnica, se alinham a medidas semelhantes recomendadas no âmbito do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e do Comitê Científico.

“É um movimento nacional, as instituições estão se posicionando”, disse o vice-reitor Chico Dantas, durante a reunião do comitê.

A professora Isabel Amaral, titular da Progep, salientou que, na Uern, não há registro de servidores com Covid desde setembro, mas fez alerta para o fato de que se percebe uma queda acentuada na busca da vacinação em outubro.

Em consenso, os membros do comitê assentaram que a situação da Universidade, quanto ao esquema vacinal de seus servidores e alunos, é favorável. Contudo, não se pode baixar a guarda neste momento, quando é essencial que se mantenha um ambiente laboral e estudantil seguro para todos.

Confira a nota:

Diante da apresentação das tendências e estratégias de controle da Covid-19 e do período sazonal da circulação de vírus respiratórios, o Comitê Covid-19/UERN expede novas recomendações de medidas de prevenção no sentido de manter a segurança da comunidade universitária.

As orientações seguem ainda as medidas de atenção advindas da identificação de uma nova variante no País (BQ.1), ocasionando o aumento de casos em alguns estados. É certo que, em sua quase totalidade, os servidores docentes e técnicos e os discentes apresentam índices favoráveis de efetivação do esquema vacinal, mas o retorno às medidas de prevenção se fazem urgentes na atual conjuntura.

Em recente reunião, com o objetivo de orientar a gestão da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN – na tomada de decisões, sempre tendo como prioridade a segurança da comunidade acadêmica, foi acordado um novo protocolo nas dependências da Uern.

Considerando as características do atual cenário epidemiológico da Covid-19 no Rio Grande do Norte, bem como as condições antes expostas sobre a vacinação no âmbito da comunidade universitária, este Comitê orienta à Universidade do Estado do Rio Grande do Norte:

1. Recomendar FORTEMENTE o retorno ao uso de máscaras de proteção nos ambientes fechados da UERN, reforçando a importância da conscientização da comunidade universitária na adoção de medidas sanitárias aplicáveis à contenção da Covid-19;

2. Manter constante incentivo à imunização, através dos canais de comunicação oficiais da UERN e outros meios, salientando a observância do devido cumprimento do esquema vacinal, incluindo as duas doses de reforço;

3. Manter canais de comunicação e divulgação de protocolos institucionais de notificação de casos positivados e protocolos a estes aplicáveis;

4. Orientar sobre a importância de hábitos de higienização, bem como a comunicação e notificação através de instrumento institucional;

5. Manter a testagem à disposição da comunidade, com vistas o encaminhamento para atendimento de pessoas sintomáticas, como forma de auxílio ao diagnóstico e devido acompanhamento dos casos de Covid-19;

6. Aos casos eventualmente positivados, recomendar o preenchimento do formulário interno, disponibilizado pela Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGEP), no caso de servidores, e da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE), quando se tratar de discentes, para que seja possível à gestão universitária o controle e mapeamento da incidência de novos casos;

7. Recomendar a vacinação da D5 para idosos, em conjunto com a vacinação já disponível para pessoas imunocomprometidas, e a D3 e D4 entre aqueles que não vacinaram dentro da comunidade acadêmica;

8. Reforçar os horários e locais de vacinação tanto nas dependências dos campi onde o serviço é disponibilizado quanto nos espaços de atendimento disponibilizados pelas Prefeituras;

9. Realizar busca ativa da população que está atrasada em relação à segunda, terceira e quarta doses, ou que ainda não foi vacinada.

_____________________

ACOMPANHE MAIS DA PROGRAMAÇÃO DA RÁDIO DIFUSORA DE MOSSORÓ (AM 1170)  aqui.

© DIFUSORA – A FALA DO POVO!